A vida tem a cor que você pinta. (Mário Bonatti)

domingo, 17 de outubro de 2010

O que dá sustância II.

Olá!!!

Por esses dias, estive pensando na proporção planos versus realizações (e na felicidade, também). Não me refiro a grandes planos, quase inalcançáveis. Refiro-me àqueles até bem pequenos, mesmo. Nos quais conseguimos ver o real sentido da vida. Percebi que a maior parte das minhas frustrações foram plantadas por mim mesma, quando planejava sem refletir direito, sem medir as consequências, ou até mesmo sem observar o absurdo do ato planejado.

Sendo assim, por outro lado, refletindo cá no meu cantinho, percebi, ainda, que as minhas maiores alegrias vêm dos dias bem aproveitados (e talvez não planejados). Dos pequenos gestos, dos sorrisos marotos, do juntar-se para nada fazer, das palavras de carinho e das pequenas realizações (dotadas – a meu ver – de grandes conquistas, como oferecer um sorriso para uma criança e receber em troca a sua inocência, amizade e até cumplicidade).

Desse modo, percebo que a felicidade não depende só dos planos bem executados. É claro que eles são importantes. Mas ela, a felicidade, vai muito além disso. Está presente em nós, atravessa as nossas manhãs (e manhas!) e permeia os nossos dias. Basta-nos um olhar mais aguçado, uma percepção mais dedicada (e delicada), que os nossos dias – planejados ou não – serão sempre como as manhãs de sábado ou domingo: leves, agradáveis e convidativas. E o melhor: felizes!

Por isso,

“Queda decretado

que todos los días de la semana

inclusive los martes

más grises, tienen derecho

a convertirse en mañanas

de domingo.”

(Thiago de Mello, trad.de Pablo Neruda)


“Me gustaría

que el año

comenzara

todos los sábados.”

(Mário Benedetti)

Tenho dito.

Obrigada a todos que escapam para este meu cantinho. Desejo que esta semana transcorra bem e traga-lhes boas novas a cada nova manhã.

Um beijo grande.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

O que dá sustância!

Olá!!! Tudo bem?


O dia das crianças me faz pensar no pouco que lembro da minha infância. Os brinquedos, os amigos, as diversões. Que tempo bom!!!

Hoje, outras crianças me fazem reviver as sensações daquele tempo; me fazem perceber, mediante seus inocentes olhares, um mundo diferente, novo a cada dia, quase mágico.

Por isso, creio que o dia de hoje merece uma nova postagem. Dedicada a elas, as crianças, claro.


Talvez devêssemos ser como as crianças.
Assim, sempre alegres, cheias de energia e vontades.


Talvez devêssemos aceitar mais o que vem do outro.
Isso que chamam de energias, alegrias e vontades.



Talvez devêssemos aprender como as crianças.
Assim, sempre brincando, trocando vontades, energias e alegrias.



Tal ______________________________ vez ...



Raul, Rafaela e Raissa, numa de suas performances. Amores!!!




Lincoln, em um de seus aniversários.



Lavínia, minha priminha amada!!!




Vitor e Miguel, também numa de suas performances.
Quase morri de tanto rir, quando os vi dançando na frente do computador. Por isso a "qualidade" do vídeo.


video



FELIZ DIA DAS CRIANÇAS a todas essas criaturinhas lindas, queridas e amadas, que nos alegram tanto. São elas que nos dão sustância. Não!? =)



Beijão!!!!

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Uma vitória em cada página.

Olá! Tudo bem?


Primeiro:

- Talvez a minha mania de organização não se estenda à organização dos meus horários, da minha agenda. =P Perdoe-me, leitor, pela demora em atualizar o blog.


Segundo:

- Após a - até prevista - "derrota" de Marina Silva, veio-me à cabeça este poema, de Bertold Brecht. (Obrigada professora Nanci por tê-lo dividido conosco!) Espero que goste(m)!


Perguntas de um operário letrado.

Quem construiu a Tebas das sete portas?

Nos livros constam os nomes dos reis.

Os reis arrastaram os blocos de pedra?

E a Babilônia tantas vezes destruída

quem a ergueu outras tantas?

Em que casas da Lima radiante de ouro

moravam os construtores?

Por onde foram os pedreiros

na noite em que ficou pronta a Muralha da China?

A grande Roma está cheia de arcos de triunfo.

Quem os levantou?

Sobre quem triunfaram os césares?

A decantada Bizâncio só tinha palácios.

para seus habitantes?

Mesmo na legendária Atlântida,

na noite em que o mar a engoliu,

os que se afogavam gritavam pelos seus escravos.

O jovem Alexandre conquistou a Índia.

Ele sozinho?

César bateu os gauleses.

Não tinha pelo menos um cozinheiro consigo?

Felipe de Espanha chorou quando sua armada naufragou.

Ninguém mais chorou?

Frederico II venceu a Guerra dos Sete Anos.

Quem venceu, além dele?

Uma vitória em cada página.

Quem cozinhava os banquetes da vitória?

Um grande homem a cada dez anos.

Quem pagava suas despesas?


Tantos relatos.

Tantas perguntas.

(Bertold Brecht.)


Hasta!
;)